Saturday, September 23, 2006

Vazio

Segui a luz
que brilha e seduz
e guia um caminho.

E fiquei sozinho
num trilho disperso
pensamento adverso
triste talvez.

E mais que uma vez
olhando pra tras
julgando me incapaz
senti um vazio.

Apaguei o pavio
da luz que guiava
o caminho onde andava.

Depressa percebi
que sem luz e sem ti
morreria depressa.

Com vontade e pressa
acendi a luz brilhante
e de novo cativante
iluminou meu rumo.

Mesmo com algum fumo,
sigo quem me seduz.

Aquela bela luz.

Sorriso

Que sorriso maroto esse
Que me faz cair andares
E mesmo que eu não quisesse
Com essa troca de olhares
Este coração aquece
E então amo-te se precisares.

Mas amo-te de forma tal
Que custa a compreender
Mesmo sem fazer mal
Por dentro faz-me sofrer.

Quando triste por dentro me sinto
E nada me faz sorrir
Fecho os olhos, não minto
E meu pensamento começa a ir
Em busca do sorriso bonito
Que a tristeza faz diminuir.

Luz

Uma pequena luz segui.
E passo a passo continuei,
a luz crescer vi.
Pegadas não deixei.
Alguém na luz senti,
que no instante admirei.

Esse alguém estava sozinho
e tentei atrair atenção.
Mas naquele silenciozinho
o som batia no chão,
e nem por um bocadinho
consegui chamá-la à razão.

Parecia de forma teimosa,
querer ignorar
quem de forma silenciosa
apenas estava a chamar
aquela sombra misteriosa
que o estava a encantar.

Cheguei lá finalmente
e fiquei assim pasmado.
Vi teu olhar de repente
como metal prateado,
brilhando intensamente
continuando eu parado.

Então vi teu sorriso
e no momento percebi,
como se fosse um aviso,
que aquilo que senti
me deixa sem juizo,
mas amar-te-ei desde que te vi.